Porto seguro: Gatidade

Ao lado é possível ver um logo. O logo do Borges. Borges é um gatinho branco, lindo e inteligente como todos os gatos do mundo.

logoborges

Só que Borges, além de lindo e inteligente, foi adotado por uma família linda e inteligente que deu asas à imaginação e abriu o coração para todos. Surge assim a Gatidade.

A Gatidade é formada por gatos e humanos amantes de gatos que trocam informações e apoio. Que cuidam uns dos outros mesmo sem se conhecer. E tudo porque o Borges, o gatinho branco, pra lá de fofo, põe suas patinhas pra trabalhar e encher nossas vidas de sonhos e alegrias, mas também para nos sensibilizar com textos belíssimos.

Tudo começou quando uma amiga minha, rindo das histórias de Borges e sua irmã Christie, me apresentou o blog. Eu, gateira enlouquecida, obviamente virei fã. Passei a seguir e a me divertir com tudo o que rolava no site.

Um dia, em setembro de 2013, percebi que algo mais acontecia. Eu me sentia parte de algo que era maior, muito maior que meu mundo felino tão conhecido.

No dia 29 de setembro do ano passado, o avô do Borginho, como ele é carinhosamente chamado por seus fãs, faleceu. Era um domingo e Borges mantinha uma coluna em seu blog chamada “domingo é dia de dormir”. Naquele domingo, a coluna não foi ao ar, mas Borges deixou um texto sobre a “escolha” de seu avô (http://www.borgesogato.com/domingo-e-dia-de-dormir/)

O texto-homenagem ao avô do Borginho foi uma das coisas mais lindas que já li. Chorei copiosamente, como se conhecesse o Sr. Leandro e sua família, como se aquelas pessoas fizessem parte de minha vida. Senti o gosto amargo da perda de uma pessoa tão querida. Sofri imaginando o Greyzinho sem seu parceiro de brincadeiras e carinho. Imaginei tristemente o silêncio que se impunha na casa do Borges.

Naquele dia, percebi que a Gatidade existia. Existia para além das brincadeiras, das risadas, do mundo virtual. Criamos um mundo onde podemos partilhar alegrias, medos, tristezas, dúvidas. A Gatidade partilha as loucuras que só os gateiros entendem.

Além do site do Borges, a Gatidade possui outras ramificações, entre elas um grupo no facebook – grupo de fãs do Borges. Fiz parte de vários grupos de discussão sobre inúmeras coisas. Sempre tentava participar de grupos que faziam com que eu me sentisse menos “estranha”. Aquela velha ideia de ser um peixe fora d’água, de remar contra a maré, de não me enturmar verdadeiramente, parecia diminuir nesses grupos.

Entretanto, ao entrar para a Gatidade, no grupo do facebook, parece que mergulhei numa realidade à qual pertenço. Perco-me ali. Sofro, choro com a perda de gatinhos. Digo em casa: “mais um de nossos gatinhos se foi”. A tristeza é imensa. Dou gargalhadas com as peripécias de felinos levados, respondo mentalmente aos gracejos da majestade Jordan Rotta, fico impressionada com a beleza desses peludinhos e de seus pais dedicados.

Só que foi através de meu cachorro, o Theo, que descobri que a Gatidade tem sido um porto seguro para mim. Melhor que muito psicólogo, diga-se.

Theo faleceu no dia 03 de fevereiro, depois de muito lutar. A dor foi terrível. A sensação de não ter feito o que era preciso, de ser negligente, o desespero por não ter me despedido – encontrei-o morto ao retornar mais cedo do trabalho – corroeu minha alma. E desabafei minha dor, minha tristeza, minha solidão num post no grupo.

O carinho que recebi foi algo que não tenho palavras para agradecer. Pessoas que nunca me viram, que apenas compartilham comigo um amor por esses seres tão frágeis, foram capazes de amenizar meu sofrimento, de me ajudar a encarar o Theozinho como uma nova estrelinha a brilhar no céu.  As palavras de conforto que me deixaram foi o alento que precisei naquele momento tão triste.

A Gatidade mostrava mais uma vez sua força e dedicação. Muito obrigada mesmo.

Preciso agradecer também a Emanoelle Farias e seu esposo, os pais do Borges que, ao fim e ao cabo, são os responsáveis por tudo isso.

E para finalizar, quero dizer que a Gatidade é a melhor coisa que me aconteceu. E que toda vez que me sinto perdida, sei exatamente onde devo mergulhar. Salve, salve!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Porto seguro: Gatidade

  1. fatima nunes disse:

    que texto lindo, amei !

  2. Geisa disse:

    Maravilhoso! Traduziu muito bem a Gatidade. Emocionante! Obrigada!

  3. Roseli disse:

    que texto lindo Nana me emocionou pq traduz td o que sinto pelo Borginho sua familia e toda a gatidade.. amooo demais estar entre voces.. bjsss Lenzi Catarina e Elvis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s